Estratégia Digital

O Impacto das Marcas Pessoais para o Sucesso das Marcas Corporativas

em

Numa sociedade de consumo profundamente mediatizada, os consumidores sentem a necessidade de se relacionarem com as marcas que consomem e tendem a humanizá-las, de forma a torná-las mais próximas de si. Esta relação permitirá que os consumidores tenham mais confiança e respeito nas marcas, sentindo-se parte destas ao procurarem uma experiência intimista e pessoal, tornando-os verdadeiros seguidores. Na realidade, o que eles necessitam é de uma pessoa real, uma marca pessoal.

As marcas corporativas constroem-se em grande parte pela influência das marcas pessoais dos seus líderes. O líder é a imagem da marca, o impulsionador da marca. A marca pessoal dos líderes pode ser mais forte que a marca corporativa que representam, tornando-se mais convincentes que a própria marca, uma vez que os consumidores acreditam mais facilmente nos líderes do que nas marcas por considerarem que estes são mais facilmente responsabilizados e dão uma resposta mais rápida às suas necessidades.

Os líderes influenciam a imagem e a reputação das suas organizações de uma forma direta e essa reputação está relacionada com a forma como os consumidores vão encarar as marcas corporativas. É neste sentido que a marca pessoal pode tirar visibilidade à marca corporativa, uma vez as empresas podem ser “abafadas” pelas marcas pessoais que têm uma imagem muito forte.

Os líderes devem ser carismáticos para que os consumidores se identifiquem com as marcas pessoais. Uma marca pessoal forte reúne associações igualmente fortes que podem ser transferidas para uma marca e têm a capacidade de a tornar mais notória e credível.

Há líderes tão bem sucedidos que se transformam em verdadeiros ícones que funcionam como ativistas culturais, estimulando os consumidores a pensar diferente a respeito de si mesmos. Alguns líderes são o espelho da organização: se os consumidores admirarem o líder, admiram a marca.

Desta forma, o líder é muito mais do que a pessoa que está à frente da organização: é o líder que cria tendências e tem influência para tornar os consumidores em verdadeiros fãs das marcas corporativas. É o líder que irá dar a cara pela organização nos momentos menos bons e que festeja com os consumidores os sucessos.

  O líder deve estar empenhado em criar e melhorar continuamente, não só a marca corporativa, mas também a sua marca pessoal, porque ambas quando trabalhadas em conjunto, podem ser fundamentais para o sucesso da organização e para o respeito do líder perante os consumidores.

O líder deve ser tão respeitado e acarinhado pelos consumidores que deve tornar-se um símbolo de intemporalidade. Os líderes devem ser a razão pela qual acreditamos numa marca.

A marca pessoal é o passado, o presente e o futuro de uma marca corporativa!

Sobre Mariana Henriques

Mestre em Marketing e Estratégia pela Universidade do Minho. Licenciada em Comunicação Empresarial pelo Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto. Foi estagiária na empresa Criar Comunicação e atualmente colaboradora da APQ - Associação Portuguesa para a Qualidade na área de Comunicação e Marketing.

Recomendado para si